Primeiro dia de vindima no Dão



Primeiro dia de vindima no Dão em Casal Sandinho, uma vinha velha de Encruzado com cerca de 2 ha. Alugámos um camião refrigerado para manter as uvas frescas durante o dia e fazer o transporte até Mouraz em perfeitas condições de temperatura (4-5 ºC). Cerca de 15 pessoas vindimaram durante todo o dia, vinte e poucos graus de temperatura no ar, um belo dia de final de Setembro. Primeiro contratempo: a máquina de frio na adega em Mouraz avariou, só se consegue arranjar a peça dentro de 4 dias! Depois de uns minutos de desespero, telefonemas para aqui e para acolá, o que vamos fazer à uvas? quase 7 toneladas de Encruzado acabadinhas de vindimar... ainda bem que temos o camião de frio, pelo menos estão protegidas. Esperar até 3ª feira com as uvas no semi-reboque de frio, solução caríssima!! Alguém, nos pode emprestar uma cuba com sistema de frio numa adega aqui por perto? impossível, está toda a gente a vindimar...respirar fundo, as uvas aguentam até amanhã, improvisamos um sistema de frio com água do poço em circuito fechado, é só chamar o electricista, por acaso até está disponível, a solução pode funcionar e.... funciona mesmo!! As uvas ficaram no frio durante toda a noite e logo pela manhã já estávamos a prensar! Uma bela cuba de 5 mil litros cheia de mosto fresco a macerar.... Graduação 13º. Acho que vai dar um belo encruzado!



video

Sem comentários:

Uma parte da história, por António Lopes Ribeiro

Nasci em Dezembro de 1970, numa casa de granito construída pelo meu pai, António Ribeiro, num terreno herdado pela minha mãe, Maria Fernanda, outrora pertença do meu avô que por sua vez o tinha recebido do meu bisavô. A pedra utilizada na sua construção foi, ela própria, arrancada nesse terreno. Segundo conta o meu pai, hoje com mais de 80 anos, a casa e os armazéns demoraram dois anos a construir. De uma terra inóspita e praticamente inculta nasceu uma bela construção e vários terraços perfeitamente aráveis, onde viria a nascer a vinha do Outeiro. Conta também que, nesse ano, em virtude da grande preocupação com a obra, perdeu praticamente toda a colheita de vinho...

Mesmo assim ainda teve tempo para plantar uma nova vinha. Nasci sobre uma adega, com cubas de betão, lagar e tonéis. Em Dezembro os vinhos ainda se ajeitavam no interior do vasilhame e os seus aromas atravessavam o tabuado que separava a adega do meu quarto. Sou o quarto filho, irmão de Adriano, Hélder e Jorge.